ATENÇÃO AOS SINTOMAS

Pessoas!
Seguindo um desejo antigo meu (que o blog seja um meio de ajudar e unir as pessoas nas diferenças) inauguro hoje o espaço “Social”.
Dedicado a projetos sociais bacanas, pedidos de ajuda para quem pode ajudar, divulgação de informações importantes e principalmente a união de nós todos pelas diferenças que nos cercam.
Inauguro esse espaço com uma história que aconteceu com uma pessoa próxima a mim, e que a informação foi o que mudou o futuro dessa família.

Aqui vai a história da Mari, do Alê e da Agatha, a filha deles de 1 ano e 5 meses.
Eu conheci a Mariana pouco antes dela ficar grávida. Ela teve uma gravidez tranquila e a Agathinha nasceu perfeita.

Quando ela tinha 9 meses, a Mari leu uma reportagem na Veja que falava sobre crianças com autismo e a importância do diagnóstico precoce. Infelizmente a Agatha tinha diversas características citadas no texto, e a Mari, mãe leoa e corajosa, foi conversar com o pediatra dela.
Ele a incentivou na busca por respostas, e sugeriu que ela procurasse um especialista. Então a Mari foi em um Neuro, que recomendou que ela esperasse mais um pouco (80% dos pais de autistas são recomendados a esperar), mas – guiada pelo que a revista escreveu e pelo seu pediatra – ela insistiu e foi em outro médico.

Como o diagnóstico é difícil – principalmente quando a criança é assim tão nova – o novo médico não deu absoluta certeza de que era autismo, mas recomendou que ela começasse uma terapia intensa o mais rápido possível, pois o cérebro é um órgão que tem plasticidade até os 3 anos de idade, podendo mostrar grandes sinais de melhora ou ate reverter o caso.

Hoje a Agatha completou 8 meses de terapia e nesse tempo mostrou uma melhora assustadoramente maravilhosa!
Com 1 ano e 5 meses a Agathinha foi liberada dos tratamentos e é uma criança absolutamente normal, no sentido cientifico da palavra, porque para mim ela é absolutamente especial.
Esse foi o desfecho do caso da Agatha graças ao diagnóstico precoce, graças a uma mãe atenta, graças a coragem da Mari e do Alê de irem atrás de respostas, sejam elas quais fossem.

Vendo a importância dessas informações e a possibilidade de mudar a vida de pessoas, resolvi escrever aqui alguns dos sintomas dessa disfunção que atinge 1 em cada 110 crianças, sendo 1 menina para 4 meninos.

Lembrando que o autismo tem uma infinidade de sintomas de diferentes intensidades, e apenas um dos sintomas não o caracterizam.
Essa disfunção só pode ser diagnosticada com auxilio medico.

  • Aos 3 meses: Não demonstra interesse pela voz humana. Sua atenção é prendida por estímulos repetitivos, como o movimento das pás de um ventilador.
  • De 4 a 6 meses: Pode apresentar dificuldade em reconhecer a voz dos pais. Raramente encontra conforto no colo da mãe e estabelece pouco, ou nenhum, contato visual enquanto mama. Dorme pouco ou inverte o ciclo do sono.
  • Aos 9 meses: Bebê tem dificuldade de imitar gestos como o “tchau”. Normalmente só depois de muito estímulo dos pais. É indiferente a pessoas estranhas ao convívio familiar.
  • Aos 12 meses: “Mamãe” e “Papai” demoram a aparecer no vocabulário. Emite sons fora do contexto e tem dificuldade para cumprir ordens simples. A criança não responde com o olhar quando é chamada.
  • Aos 18 meses: Beijos e abraços podem ser um problema. Não gosta de ser tocada e demonstra poucos sinais de afeto. Hipersensibilidade a sons altos e pouca sensibilidade a dor.
  • Aos 24 meses: Brinquedos e objetos que giram tendem a fascinar a criança. As dificuldades de comunicação podem se agravar. É possível que apareçam outros hábitos como andar na ponta dos pés, girar em torno de sí e movimentar as mãos freneticamente em frente ao rosto.
  • Aos 36 meses: Não se interessa por brincar com outras crianças e se incomoda com mudanças na rotina.

Graças aos avanços no diagnóstico e no tratamento, hoje 30% dos autistas levam uma vida independente. Deve ser um caminho duro de percorrer mas muitas crianças mostram melhoras e conseguem viver uma vida relativamente normal quando adultos.

Sei que só quem passa por esse difícil processo deve entender mesmo todas as dores e alegrias que tem no caminho, por isso vou deixar aqui um blog que ajudou muito a Mari.
A mãe e escritora do blog se chama Andrea e o filho dela se chama Theo. Lá no Lagarta Vira Pupa ela conta tudo sobre autismo, esclarece e ajuda outras mães, e conta de todos os avanços do fofo do Theo!
A Mari também se disponibilizou para ajudar qualquer pessoa que tenha dúvidas ou queira conversar sobre o assunto. O email dela é  [email protected], e ela é uma pessoa atenciosa e muito doce, então se alguém realmente quiser conversar e precisar de ajuda, pode contar com ela! FOFA!

Mil beijos!

PS: Mari, você é uma pessoa muito especial e batalhadora. Fico emocionada com o caminho que você e o Ale percorreram sem titubear. Obrigada por me ajudar a ajudar outras pessoas, obrigada por contar sua história, obrigada por todas as informações! Beijos enormes!

Quero também agradecer a Marina, minha amiga e cunhada, por ter me apresentado essa família linda! Love you!!!
Beijinhos

Gostou? você pode compartilhar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Oi Lu,

    Sei bem o que é isso, minha prima teve uma neném linda diagnosticada com autismo aos 2 anos e de lá para cá ela faz tudo em termos de terapia para ajudar ela e realmente perceberam melhoras, principalmente com a música, a Sophia (nome da neném) reage muito bem com músicas. Minha prima recentemente está escrevendo um blog falando sobre o dia-a-dia dela com a Sophia (http://mundodasophia.com/), espero que as dificuldades dela ajude sua amiga e outras pessoas também,

    Abraço

  2. Parabéns pela belíssima matéria Lu, você sempre inovando e surpreendendo positivamente, maravilha!!!
    É disso que precisamos, de informação com conteúdo que agregue vários valores. Show!

    Beijos,

    Pri

  3. Tenho um primo autista,hoje ele ja tem 18 anos,e na época,era tudo muito mais difícil de diagnosticar,sentíamos que ele era diferente,a Mae dele e fisioterapeuta,mas como ele teve um histórico de uma baba que o maltratava,quando ele tinha entre 8 meses e 1 anos e 2 meses,passou-se muito tempo acreditando ser TRAUMA,ate se constatar o Gabriel ja tinha entre 6 e 7 anos,fizeram ecoterapia,fono,fisio,tudo,mas infelizmente ele vive em um universo particular,com quase nenhuma interação com o mundo exterior! A Mae deixou de trabalhar,hoje ele ja e um homem feito,porque a natureza caminha,e nem banho ele toma so! Parabens pela matéria,acho que os blogs,devem ir infinitamente alem de dicas de beleza,moda,bons restaurantes! Que bom que a ciência evoluiu,que o preconceito se dissolve a cada dia,que existem ames leoas como essa,e que a Agatha esta bem! Uma associação e muito valida,para que cada pai/mae possa ajudar uns aos outros! Parabens!!!

  4. Achei muito interessante, pois serve de alerta p/ muitos pais, que no caso da Aghata, se deu por conta da informação q ele tiveram e correram atrás e não se deixar levar pelo 1º parecer médico. Parabéns pela sua divulgação e p/ os pais da Ághata.

  5. Bom dia!!!! Sensacional sua iniciativa de acrescentar essa questāo social no blog. Um grande diferencial enriquecedor. Parabéns!!! Mais e mais sucesso. Bjos com carinho

  6. Oi Lú… sou arquiteta de Goiânia e entro normalmente em 3 blogs no mesmo estilo do seu todos os dias!! Isso me alivia a cabeça, me relaxa um pouco durante o meu trabalho que é 24h na frente do computador!! Gosto demais desses 3 blogs que eu visito mas queria te dizer que o seu é especial. Sempre achei isso, mas lendo esta novidade de “ajudar pessoas” eu pude confirmar este meu sentimento. Gosto do seu blog pois te acho HUMANA!! Você mostra novidades, tendencias, futilidades que nós mulheres gostamos, mas existe uma PESSOA aí dentro. Acho isso muito legal!! Passei só pra te dar PARABÉNS pelo seu trabalho e dizer que o nosso planeta precisa mesmo de pessoas assim!! muito bom!! bju

  7. Oi Luciana! Acompanho muito o blog mas nunca comento! Hoje resolvi escrever porque sou amiga da Mari e da Marina e torci muito pela Agatha, que é uma princesa! Tenho uma filhinha de 7 meses e posso dizer que o caso da Mari e da Agathinha me ajudou muito a ficar atenta a vários desses sintomas e poder informar outras mães a dar atenção ao diagnóstico precoce do autismo. Parabéns pela iniciativa, tenho certeza que você também vai ajudar muita gente!

    Um beijo!

  8. Nossa Lu que incrivel!!! Graças a DEUS ela está curada, que JESUS abencoe muito essa familia linda e dê muito mais força e saúde não só para a pequena Agathinha mas para os pais.

    Gostei DEMAIS da nova seção!!!

  9. Lu

    Adorei essa nova tag e achei demais essa sua pr’o-atividade e vontade em ajudar!
    Isso mostra que vc não é feita só de glamour, status, dinheiro, roupas e viagens, mas que tem um lado humano e que pensa em ajudar o próximo.
    Sendo uma pessoa conhecida e com alto poder de disseminar informação, eu aplaudo de pé pela iniciativa – e isso com uma linguagem de fácil acesso e bem explicativa 🙂

    Um grande beijo e parabéns

  10. Lu,
    Como sempre, vc sempre querida e preocupada com as pessoas.
    Deus, te abençoará muito e sempre, tenho certeza!!!
    Achei linda a ideia, de ajudar outras pessoas através de informações.
    Vc é muito linda mesmo, de corpo e alma!!!
    BJ

  11. Lu, amei sua iniciativa! É muito bom saber que ainda existem pessoas preocupadas em ajudar as outras. Tantos blogs por aí e nenhum deles, ou pouquíssimos, com essa atitude. Confesso que visito seu blog diariamente, mas nunca havia comentado. Mas com esse post, não resisti em te fazer um elogio. Já te achava super simpática, agora então… haha. Grande beijo!

  12. Nossa que história linda…eu amei essa nova tag…
    Meus parabéns Lu, precisamos de muitas pessoas assim como você, que além de nos atualizar em assuntos que adoramos (beleza e moda) mas também abrir os olhos para o lado social. Não conheço niguém com esta situação portanto não sabia ao certo oq ue acontecia, e graças a você e ao caso mencionado pude aprender 🙂

    Beijos e obrigada.

  13. Oi Lú!
    Você merece os aplausos por essa iniciativa. Isso só enriquece o seu blog e estende a mão para quem está precisando de ajuda nesse momento. Admiro muito você por ter coragem de trazer temas novos, além de moda, make e etc..
    Beijos e congrats!

  14. Lu,

    Parabéns pelo post e pela iniciativa. Muito importante compartilhar experiências que certamente ajudará outras pessoas a ter uma qualidade de vida melhor,

    Adriana

  15. Lu, que iniciativa bacana, adorei! É piegas falar isso, mas o mundo precisa de mais gente assim! Ser uma “ponte” entre os que precisam de ajuda e os que podem ajudar é uma dádiva! Parabéns por ser quem vc é! Admiro muito seu trabalho! Bjs!

  16. Oi…
    Sou professora de Ginástica Artística e trabalho na Body Tech do Cittá America, no Rio de Janeiro, quando li esse post não podia de dar essa informação.
    Lá tem um trabalho com crianças autistas muito bom, com a modalidade conseguimos um resultado espetacular com as crianças, como exemplo, um aluno de 6 anos, falou a primeira palavra no ginásio, foi muito emocionante. A melhora desses alunos com a atividade física é incrível. Esse trabalho é feito com o professor Rodrigo Brivio. https://www.facebook.com/rodrigo.brivio?fref=ts
    Estou mandando um vídeo de uma matéria que o Esporte Espetacular fez.
    É mais uma opção de ajuda para essas crianças e família.
    https://www.youtube.com/watch?v=byU10ol0D00
    Bjs

      1. Lu, parabéns pela matéria!! Acompanho o seu blog e o da Lala diariamente, sou fã!!!
        Moro em São Paulo há pouco tempo… Vc poderia me indicar algum salão de beleza no Itaim?
        Bjs

  17. lu querida!
    obrigado a você por ter tido a ideia e vontade de falar da história da família nobre que é tão querida e importante para mim! alem de informativo esta lindamente escrito…. ate chorei de emocao
    Temos que aplaudir mesmo a mari e o ale por terem encarado a “diferença” da Agatha de frente e corrido a trás sem medo!

    amei a nova tag! quero ver mais histórias emocionantes e instrutivas por aqui como também a da Abrela que fez tanto sucesso por aqui

  18. Parabéns pela iniciativa, como o seu blog tem grande visibilidade certeza que essa nova área ira ajudar varias pessoas.
    Desejo mais sucesso tanto na vida profissional quanto na pessoal.

  19. Lu,
    Não preciso nem dizer que estou MEGA emocionada com esse post. Você é uma pessoa especial! É realmente lindo ver você usando esse espaço e sua influência para ajudar as pessoas. Já te adimirava antes e agora ainda mais! Espero que nossa história possa ajudar muitas famílias, assim como a Andrea me ajudou! Muito obrigada mesmo! E obrigada a Mama que ajudou tanto e me apresentou você!
    Beijo grande no coração,
    Mari, Alê e Agatha!

  20. Uau, Lu, chorei com o seu post!
    Vc é mto iluminada, menina!
    Que ideia excelente essa dos posts sociais! Parabéns! E parabéns para a família da Ághata por ter sido tão guerreira!
    Gostaria de acrescentar que li um livro sobre plasticidade cerebral de um médico americano, e ele diz que o cérebro não perde a plasticidade, ou seja, continua com a capacidade de se adaptar, se amoldar a diferentes situações por toda a vida. Então, pessoas já adultas, com tratamento adequado, conseguem se recuperar de doenças “mentais” antes consideradas incuráveis ou de cura dificílima….. Isso é mto legal!!!!
    Obrigada pela oportunidade de conhecer essa história tão linda!
    Bjos

  21. Lu que maravilha você poder ter um espaço assim no seu blog. Se você tiver interesse, faço parte de um grupo o CRER PARA VER que são mães de crianças com a Trissomia do 21 (Síndrome de Down). Minha gravidez foi super saudável, tranquila, fiquei sabendo que minha filha Isabela tinha Down na hora do parto. O grande problema que temos hoje sobre as síndromes em geral é a falta de informação sobre nossos direitos, tratamento para as crianças. Se tiver interesse em colocar alguma coisa sobre o assunto, podemos nos comunicar melhor. Se quiser conhecer minha filha, tenho fotos dela no meu facebook: Livia Ferreira.
    Nós do Crer para Ver estamos realizando uma “cartilha” para explicar e informar melhor as mamães sobre a Síndrome de Down e os direitos que nossos filhos possuem e tratamento.

    PARABÉNS !

    ABRAÇOS

    1. Lívia,
      Vou te enviar um email porque gostaria sim de conhecer melhor esse grupo e o trabalho que realizam, quem sabe eu não posso ajudar?
      Beijinhossss

  22. Xará, parabéns pela iniciativa de postar sobre conteúdos sociais. Foi um ótimo tema para o começo, viu?
    Sou da área da saúde, estudo medicina, e recentemente estudamos sobre o Autismo e a importância do diagnóstico precoce.
    Tenho certeza que a comunidade pediátrica agradece sua atitude, ao menos para servir de pontapé inicial para que cada um busque se aprofundar no tema!
    beijos

  23. Lu, que lindo esse post!! realmente eh muito importante o diagnostico precoce! E que a familia trate normalmente. Conheco uma pessoa que tem 2 filhos autista e ela eh muito feliz com seus filhinhos. O mais velho ja esta na escola e esse mes foi a festinha do ABC dele!! A menina tem quase 2 anos e ambos foram diagnosticados precocemente. Eles vao a escolinha normal e fazem variadas atividades. Mais uma vez , parabens por abordar esse tipo de tema no seu blog 🙂

  24. Não sou mãe de autista, e sim de um filho lindo portador da Síndrome do X-frágil, doença mental de origem genética, que fica em 2° lugar depois da Síndrome de Down, com características autistas e que pouquíssimas pessoas conhecem, isto inclui médicos e psicólogos! Meu filho tem 16 anos, e desde que ele era bebe, corro atrás de um diagnóstico certo, para que assim, ele possa ter um tratamento adequado . Bom, minha história é super longa e, só sei que minhas possibilidades de ajuda se esgotaram por falta de profissionais bons, consequentemente orientações para os pais , bom senso das autoridades responsáveis e respeito!

  25. Oi lu sou a avo da Agatha mae da Mari. Realmente nossa Agathinha hoje esta bem porque teve uma mae iluminada , abencoada e guerreira . A Mari foi a luta e com muito amor e determinacao . Obrigada a voce pelas palavras carinhosas e pelo seu especial carinho pelas duas paixoes da minha vida ! Minha filha e minha neta ! Um beijo grande e que seu blog ajude outras maes e outras criancas

  26. Lu,
    Sou psicóloga, e gostei muito da matéria!
    Sei que o autismo não é algo fácil para diagnosticar, pois desculpa lhe avisar, mas não é uma doença biológica e sim comportamental! Gostaria que se possivel vc procurasse mais sobre a Psicose infantil (Autismo) na psicanálise. Vou tentar lhe dizer em poucas palavras o que mais ou menos o que se tem falado sobre a psicose infantil. O autismo é considerado um transtorno da personalidade. Sei que é dificil para a mãe, principalmente, aceitar que seu filho/a é assim, pq não é algo que a criança nasce, e sim o contato com que a mãe tem com o seu bebê durante a gravidez e após os primeiros meses com ele, os fatores ambientais também devem ser suficientemente bom.
    É claro que tem muitas coisas a dizer sobre a Psicose infantil. Se quesir saber mas alguma coisa poderá me procurar por email.
    Espero ter ajudado um pouco na compreensão clínica.

    1. O autismo NÃO é psicose infantil. É um transtorno neurológico e a culpa NÃO é da mãe. Também sou psicóloga e só trabalho com autismo, e hoje já temos vários estudos que COMPROVAM que o autismo é um problema neurológico, basicamente nas sinapses neurológicas. É muito complexo mesmo e o ambiente tem grande influencia no desenvolvimento da criança. Como a Luciana mencionou no texto dela, quanto mais precoce for o diagnóstico mais chances da criança ir desenvolvendo habilidades que ajudem a lidar com suas dificuldades.
      O blog da Andréa é muito legal mesmo. Se voce quiser se atualizar sobre o que é o autismo voce pode procurar informações no site http://www.autismoerealidade.com.br
      Mas não importa o diagnóstico, quando voce conhece um criança com as características mencionadas no texto da Lu, indique tratamento o quanto antes, o tratamento precoce pode mudar a vida de uma família. Parabéns para Mari e Alê!
      Abraços
      [email protected]

    2. Oi, Carol.
      Permita-me discordar. Autismo é, sim, em grande parte, genético. Aqui tem uma matéria sobre isso: http://www.telegraph.co.uk/health/healthnews/7814775/Dozens-of-genetic-mutations-linked-to-autism-in-children-discovered.html
      Essa teoria de que a criança ficou assim por causa da falta de contato humano ou “frieza” da mãe é lá dos anos 50/60, do Bruno Bettelheim, que apelidou as mães “carinhosamente” de “mães geladeira”. Isso já foi completamente desacreditado pela ciência pelas novas descobertas no campo da genética. Até a França, famosa por usar psicanálise para tratar autismo, já está revendo seus conceitos. Depois da censura contra o documentário O Muro (censura criticada pelos próprios Repórteres sem Fronteiras)
      http://www.supportthewall.org/2012/02/reporters-without-borders-documentary-filmmaking-threatened-by-court-ruling-on-autism-documentary/
      que denunciou o tratamento deficitário dado aos autistas franceses por instituições e profissionais de orientação psicanalítica, temos agora a resolução do HAS (que seria traduzido como Autoridade Máxima em Saúde francesa) que recomenda técnicas comportamentais e educacionais para o tratamento do autismo, em detrimento da Psicanálise:
      http://www.supportthewall.org/2012/03/the-connexion-victory-against-psychoanalysis-for-children-with-autism-in-france-and-our-analysis/
      http://connexionfrance.com/victory-success-autism-psychoanalysis-methods-13524-view-article.html
      Só pra se ter uma ideia, na França, a taxa de inclusão de autistas na escola é de apenas 20% contra 60% na Suécia e outros países. Pais de autistas saem da França para buscar tratamento na Bélgica, por considerarem deficitário o sistema francês:
      http://m.bbc.co.uk/news/magazine-17583123
      Enfim: autismo é tratável! Com terapia comportamental e ocupacional!
      Um abraço.

    3. Carol, Com TANTAS pesquisas e estudos, dizer que “Sei que é dificil para a mãe, principalmente, aceitar que seu filho/a é assim, pq não é algo que a criança nasce, e sim o contato com que a mãe tem com o seu bebê durante a gravidez e após os primeiros meses com ele, os fatores ambientais..” é um pouco irresponsável. A teoria da mãe geladeira já foi descartada faz tempo e já é provado que o autismo tem um componente genético. Acho importante que isso fique claro para todas as mães, a culpa NÃO é da mãe. Beijos

      1. Fiquei muito feliz quando vi esse post. Eu sempre acompanho o blog e hoje vi esse texto que fala sobre o que eu trabalho. Sou psicóloga comportamental e trabalho com crianças autistas a partir do método ABA.
        Acredito que o mais importante para divulgar é justamente as características diagnósticas, pois é impressionante o que o tratamento precoce pode fazer por essas crianças.
        Hoje sabemos que existem fatores genéticos importantes, mas ainda não se sabe a causa do autismo. No fundo, nós psicólogas, trabalhamos com o repertório que a criança tem e não com diagnósticos..
        Parabéns pelo post e para a família que se expôs por uma ótima causa!!!

  27. Lu! Parabéns, vc é uma pessoa muuuuito sensível!

    Muito bom o texto, bastante esclarecedor… importante para todos nós seremos ou já são mamães!

    E parabéns para a Mari e o Alê tb!

  28. Oi Lu!

    Trabalho com isso e fiquei muito feliz em ver o tema sendo abordado no blog! Acho que vale dizer que tem psicanalistas fazendo um trabalho bem bacana com intervenção precoce para autismo também! Se alguém precisar de indicações é só pedir!

    Beijos

  29. Lu, querida

    Que máximo esse seu post!.Eu tenho um sobrinho autista, o Rafinha, que completou 10 anos esta semana! E, também, graças aos pais atentos – no caso dele o diagnóstico tb foi precoce (1 ano e 3 meses) – e à infinidade de terapias, que fizeram com que ele tivesse uma qualidade de vida infinitamente melhor. Este alerta aos pais é a coisa mais importante…É o que faz a diferença ao longo da vida do autista. Parabéns por ajudar a divulgar!!!!! Mil beijos

  30. Ai Lú……o que falar de vc hein menina encantadora??? Cada dia sinto mais satisfação em entrar nesse blog que já virou minha paixão ha muito tempo…

    Sonho um dia te conhecer pessoalmente pra te dizer o quanto te acho especial…

    Parabéns pela iniciativa! Show!

    Super beijo!

  31. Gostei muito do post, porém gostaria de esclarecer que o autismo não é considerado doença. É um Transtorno Global do Desenvolvimento, que afeta de maneira mais grave as habilidades relacionadas à interação (fala, olhar outras pessoas nos olhos, prestar atenção ao que outras pessoas dizem).
    Sou professora e trabalho com crianças com Transtorno Global do Desenvolvimento.
    Beijos.

  32. Oi Lu. É a primeira vez que comento!!
    Parabéns pela iniciativa, em meio a tanta mesmice tanta auto-promoção, você se destaca!
    É um alento ver uma pessoa tão abastada como vc, jogando luz nessas causas que infelizmente caminham à margem da nossa sociedade.
    É muito triste, não sei se você tem conhecimento, da quantidade de famílias que escondem seus filhos” diferentes”.
    Gosto muito do seu blog, da sua forma de se comunicar e bem se vê sua boa educação. Delicadeza e sensibilidade….
    Beijo grande
    Juliana

  33. Lú você está saindo melhor que a encomenda…. sua linda mãe …deve estar sorrindo lá do céu…mas como seu pai é médico tem uma parte neste DNA…ajudar é sempre muito bom….nossa alma sorrí….!!!! Não te conheço passoalmente mas…é como se te conhecesse a muito …. beijos… parabéns…

  34. Meus parabéns pelo conteúdo da matéria e com sua preocupação com problemas que afligem as pessoas.
    Tudo isso demonstra o quanto você é humana e maravilhosa.
    Beijos Mil.
    Maria

  35. Oi Lu,
    Parabéns pela iniciativa!
    Fiquei um pouco preocupada com um comentário que li, dizendo que o autismo é psicose infantil, também sou psicóloga e só trabalho com autistas (alguns não tem o diagnóstico fechado, mas características fortes). O autismo NÃO é psicose, é um problema neurológico. É muito complexo mesmo e o que dificulta tanto o diagnóstico são os varios graus diferentes de autismo. Quem quiser encontrar informações pode procurar o documentário lançado recentemente pela ONG Autismo e Realidade, fundada pelo Dr. Marcos Mercadante (in memorian), ele explica o caminho das sinapses neurológicas nas pessoas com autismo e nos ajuda entender um pouco mais sobre este transtorno tão complexo.
    Também gosto muito do blog da Andrea e sempre indico para as mães que eu atendo.
    O importante é: Se voce conhece alguma criança com as características que voce citou, não espere o diagnótico, inicie o tratamento o quanto antes, quanto mais cedo a família inicia a intervenção melhor!
    Parabéns para Mari e Alê!
    Abraços
    [email protected]

  36. Oi,Lu! Amei sua iniciativa! Sou mãe da Celine, uma menina linda que me faz melhor todo dia! Ela nasceu em 30-04-2003, teve o desenvolvimento normal e sempre muito,esperta, estou dividindo,siso pois acho muito,importante! Celine aos 9 meses teve uma convulsão sem febre e nao passava ela foi induzida ao coma e saiu. Depois de 2 meses! Como um recem-nascido! Ela teve seqüelas neurológicas serias! Fizemos todos os exames, mandamos para fora seu liquor para investigação! Bem tudo normal! Hoje ela tem 9 anos e e uma menina encantada! Ela tem uma deficiência motora e cognitiva! Faz todos tratamentos! Fisio, Fono, TO e Equoterapia! Vai escola, esta na 3 serie, uma maravilhosa escola inclusiva! Bem ela e muito feliz e me faz feliz todos os dias! Uma criança!
    Agora soubemos que Celine nasceu com uma má formação no cérebro! Até comum! Que ela poderia viver normal seminua ter tido uma convulsão ! Mas como muitas crianças nao estava preparada para tomar uma vacina aos nove meses! Foi justamente isso o gatilho! Para aquela crise! 5 dias após a vacina ! Bem como saber? Tem coisas que tem que se! Nasci para ser mãe de Celine! Ela e linda amada e especial! Uma menina encantada e que me faz feliz como qualquer filho faz uma mãe! Bjs. Lu ! Maria Luisa

  37. OI Lu! Sempre dou uma olhadinha no seu blog, mas nunca deixo comentários… Bem, esse post merece um comentário tanto pela sua iniciativa de contar uma história dessa, bem como passar informação que pode (e muito) ajudar outras pessoas. Parabéns, muito bom poder acompanhar um blog como o seu!
    Bjos

  38. Oi Lu
    Adorei o texto, estou gravida e informação como essa podem fazer diferença! O que toda mãe quer e que seu filho seja saudável, perfeito. Mas toda mãe sabe que venha como vier ele será amado e tudo que possa fazer da vida dele melhor será providenciado. A Agatha demostrou ser uma mãe atenta e Deus sempre deixa uma porta aberta,
    Obrigada adoro o seu blog. Aqui eu já chorei, ri e sempre me divrto. Vc e linda por dentro e por fora.
    Continue assim um grande abraço Pri

  39. Oi Lu
    Adorei o texto, estou gravida e informação como esta podem fazer diferença! O que toda mãe quer e que seu filho seja saudável, perfeito. Mas toda mãe sabe que venha como vier ele será amado e tudo que possa fazer da vida dele melhor será providenciado. A Agatha demostrou ser uma mãe atenta e Deus sempre deixa uma porta aberta,
    Obrigada adoro o seu blog. Aqui eu já chorei, ri e sempre me divrto. Vc e linda por dentro e por fora.
    Continue assim um grande abraço Pri

  40. Oi Lu,

    Adorei a matéria do blog, parabéns por se preocupar em levar este tipo de informação, muita gente não sabe nada sobre autismo e por isso nem consegue perceber que o filho tem dificuldades.
    Trabalho voluntariamente há 3 anos com uma criança que tem autismo e utilizamos o método do programa son-rise, é uma abordagem relacional e seus princípios básicos podem ser facilmente aplicados pelos pais, familiares, em casa mesmo, o que facilita para aqueles que tem dificuldade financeira. Tem informações no site: http://www.inspiradospeloautismo.com.br.

  41. Lu, parabéns pela iniciativa!
    No meio de tanta mesmice e auto-promoções deparar com uma atitude dessa foi um alento.
    Bem se vê que valores vem de berço, já que sua mãe tinha uma proposta como empresaria na relação com seus funcionários a frente do tempo, privilegiando o respeito ao próximo.
    Muito bom você trazer esse tema aqui, pois não sei se você sabe é muito, muito comum famílias esconderem seus filhos “diferentes” do convívio com a sociedade.
    Torço para que você com seu espaço consiga levar informação e quem sabe mais incentivo à projetos.
    Mais uma vez parabéns!!!!
    E mais e mais sucesso você merece….
    Com carinho
    Juliana

  42. Parabéns, Linda LU TRANCHESI pela iniciativa. Uma menina rica que entende a desigualdade em que vivemos e que com pouco do muito que temos podemos amenizar as dores do mundo. Dona Eliana foi uma excelente educadora. Um abraço.

  43. É por isso que esse é de longe o meu blog de moda favorito e vc é de longe a blogueira que mais admiro. Vc não é limitada, vc é autêntica, vc é linda demais, por dentro e por fora. Deus te abençoe! E continue com sua autenticidade. Com certeza deve ser muito querida pelas pessoas que te conhecem. Quem tem luz, tem luz! Bjo

  44. Que iniciativa bacana, Lu! Está de parabéns! Informação é tudo e esse tipo de esclarecimento muda a vida das pessoas!!! Continue com esse projeto que será um sucesso!

    Lu, aproveito para convidar você e suas leitoras a participarem do SORTEIO DE MAQUIAGENS que estou promovendo no meu blog! Só tem maquiagem bacana sendo sorteada. Participem!

    http://www.estilocinderela.blogspot.com

    Bjocas e sucesso!

  45. Querida Lu!
    Nos conhecemos por email e pelas amigas em comum. Eu vivo uma história muito parecida com a da sua amiga e seu post me desmontou. Parabéns pela iniciativa e pelo carinho com as mães que passam por essas provações. Também me coloco a sua total disposição para esclarecer dúvidas, indicar médicos (para quem for de SP), métodos de tratamento, escolas especializadas, chorar junto, o que quiserem. Esses anjos vem para mudar nossas vidas e nos fazer pessoas muito melhores. Vou falar com a Beta e a Lelê para marcarmos de nos conhecer pessoalmente!!
    Um beijo enorme, com todo o meu carinho e admiração
    Pat

  46. Parabens pela matéria!!!! Sou médica e tenho duas colegas com filho autista, essa troca de informações nos comentários é de suma importancia para transmissão de informações, lições de vida, incentivo e esperança. Já vou passar seu blog. para elas. Desejo que exista mais doações de informações por parte tambem de profissionais habilitados nesta área. Fantástico o seu conteúdo em ajudar ao próximo. Deus te ilumine sempre.

  47. Oi Lu, faço como a Ana Lidia, leio o seu e mais uns 3 blogs, mas percebo q vc é muito sensível, o q confirmei com este post! Parabéns querida!!! Luz para todos q lutam e amam seus filhos! Bjooo

  48. Um assunto muito discutido são as diferenças psicológicas entre meninos e meninas no que se refere à identidade sexual das crianças. Enquanto a maioria dos psicólogos acreditam que as diferenças psicológicas entre ambos os sexos seja determinada primariamente pelo ambiente onde a criança vive e pelos estereótipos impostos à criança pela sociedade , alguns especialistas, primariamente geneticistas, consideram que a genética possui maior peso nestas diferenças.

  49. Boa Noite querida, adoramos seu IG e blog. Gostaríamos de
    falar um pouco do nosso projeto, criamos uma associação sem fins
    lucrativos para ajudar as pessoas a perderem peso e ainda ajudarem quem
    precisa.

    O projeto funciona basicamente assim, cada kg perdido na dieta nos revertemos em kgs de alimentos para uma instituição de caridade.

    Todos os dias postamos dicas de bem estar no instagram
    @belezasolidaria. Queria muito sua ajuda para divulgar nosso projeto,
    quanto mais gente ajudando melhor!

    Nosso projeto vai ser destinado ao CEVAM – Centro de valorização da
    mulher, eles acolhem mulheres do Brasil todo que são vitimas de
    violência domestica e crianças abusadas sexualmente. Eles precisam
    muito de doações.

    Desde já agradeço.

  50. Lindo texto e linda iniciativa. Parabéns pelo blog que está cada dia melhor.
    Você realmente é uma pessoa diferente, muito humana. Isso toca todos a sua volta. Parabéns!!!
    Beijos

  51. OI Lu…parabéns pela iniciativa com esse post. São pessoas como você que conseguem fazer uma pequena diferença mas que ajudam muitas pessoas. Com certeza muitas mães começaram a prestar atençao em seus filhos em relação a esses sinais. Parabéns

  52. Oi lu,
    adorei a sua inciativa. as vezes paro um pouco de ler os blogs de moda porque muitas vezes sinto um “vazio” neles, uma superficialidade enorme. O seu blog é um que eu vejo diariamente, e que amo e recomendo muito. Te acho humana e sinto isso pelos seus posts. Continue essa pessoa que acredito ser maravilhosa.

  53. Oi Lú (:

    Eu sei que esse post não tem nada a ver com moda, mas resolvi comentar aqui porque não sei se você lê comentários em posts antigos :/ então não fica brava por eu te perguntar algo sobre moda please!
    Tenho um casamento muito muito chique pra ir e queria achar um vestido lindo que não custasse muitos mil reais haha 😛 eu não sou uma pessoa chique, sou normal (tipo de segunda a sexta calça jeans e camiseta?) e não tenho a mínima idéia de onde posso encontrar um vestido bonito e não muito caro… Eu te sigo no instagram e já salvei várias fotos suas pra copiar o make (adoro suas maquiagens do tipo “nasci linda assim”). Não sei se é muita pretensão minha querer umas dicas personalizadas, mas de qualquer forma seu blog já me inspira suuuper, thanks! 😉

  54. PS: Mari, você é uma pessoa muito especial e batalhadora. Fico emocionada com o caminho que você e o Ale percorreram sem titubear. Obrigada por me ajudar a ajudar outras pessoas, obrigada por contar sua história, obrigada por todas as informações! Beijos enormes!

  55. Lu e Mari,
    Linda a história e linda a matéria e a divulgação… Tô passando por caso semelhante e se não for incomodar muito gostaria de saber o nome do medico que ajudou a Mari… Não moro em SP, mas estou a procura de um especialista para levar minha filha. Obrigada

    1. Oi Maria, tudo bem?
      Eu posso te indicar dois neuro pediatras, o Dr. Erasmo Casella, tel:21510115 e o Dr. Mauro Muszkat, tel: 55719908
      Mas tem a Dra. Ceres Araújo, tel: 38423740, que é neuropsicóloga, mas ela pode te explicar como é este funcionamento neurológico do autismo e te indicar um tratamento apropriado.
      abs,
      Thais Boselli

  56. Oi Lu!
    Adorei essa nova “seção” do blog. Parabéns pela iniciativa!!

    É pela informação e conscientização que as coisas vão mudando……

    Beijokas!

  57. Oi Lu! Adoro o seu blog! É uma delícia… e sabe pq? Pq tem conteúdo! Lógico que amo ver posts com looks, lojas etc e tal. mas vc tem a sensibilidade de fazer posts como esse do autismo, o post sobre sua mãe, com a qual tive o privilégio de trabalhar bem de perto. Enfim, parabéns linda! Vc cresceu e apareceu, Poderia ter ficado na sua “zona de conforto”, mas correu atrás! Mais sucesso pra vc! Beijos!

  58. Cheguei ao seu blog através do Lagarta Vira Pupa, da minha amiga Andréa, mãe do Theo. Quero parabenizá-la pelo post. Além de muito preciso e didático, atinge um público diferenciado daquele que já está em busca de respostas sobre o comportamento diferente de seus filhos, o que não significa que não sejam pessoas com esse mesmo tipo de necessidade. Mas, além disso, é bom, pois só o conhecimento tem o poder de afastar o preconceito. A propósito, sou mãe de dois rapazes, sendo que o meu caçula, de 21 anos, é autista . Esse tipo de informação e apoio que a internet possibilita, atavés de blogs como o seu e o da Andréa, teria me poupado de muito sofrimento solitário, no início de minha jornada com meu filho autista. Um grande abraço.

  59. Muito legal o post e sua atitude…
    As pessoas precisam mesmo de informações.
    E Mari….vc é uma guerreira linda….torci muito ao lado de sua mammys!!!!
    Beijos

  60. Eu conversei com a Mari e só posso reafirmar que ela e uma guerreira e um amor de pessoa. Fui no mesmo Neuro Pediatra dela e estou rezando e torcendo pra que de tudo certo com minha filhinha. O Neuro esta muito na duvida, pediu pra fazer exatamente a mesma coisa, tratamento intensivo e ela esta evoluindo! Lu, obrigada. Entrei no seu blog uns dias antes de ir pra Sao Paulo, totalmente por acaso e me deparei com esse post tao esperado e desejado!!! Então considero vocês Duas, minhas anjinhas! E todas as pessoas que comentaram também me ajudaram demais. Estou na luta pra reabilitar meu maior tesoura da vida e sei que vou conseguir. Ela tem 2 anos, quase nenhum estereotipo autista, a nao ser o pouco vocabulário. Beijos mil pra todas e em especial na Mari e na Lu!

    1. Juliana que delicia de comentário!!! Escrevi esse post exactamente com o intuito de ajudar a pessoas que passam por essa difícil situação!
      Meu coração fica feliz demais com o que você escreveu…
      Mil beijos e fique com Deus.

  61. Ótima matéria! Sou psicopedagoga clínica e trabalho com crianças autistas e com síndrome de Asperger, é muito importante um diagnóstico para cuidar destas crianças.

    Parabéns!

  62. PARTIE LA MER ET LA NUIT DEUX CHAPITRES PRéLIMINAIRES I URSUS I Ursus et Homo étaient liés d’une amitié étroite. Ursus était un homme, Homo était un loup, Leurs humeurs s’étaient convenues. C’était l’homme qui avait baptisé le loup. Probablement il s’était aussi choisi lui-même son nom; ayant trouvé Ursus bon pour lui, il avait trouvé Homo bon pour la bête, L’association de cet homme et de ce loup profitait aux foires, aux fêtes de paroisse, aux coins de rues où les passants s’attroupent, et au besoin qu’éprouve partout le peuple d’écouter des sornettes et d’acheter de l’orviétan. Ce loup, docile et gracieusement subalterne, était agréable à la foule. Voir des apprivoisements est une chose qui pla?t. Notre suprême contentement est de regarder défiler toutes les variétés de la domestication. C’est ce qui fait qu’il y a tant de gens sur le passage des cortèges royaux, Ursus et Homo allaient de carrefour en carrefour, des places publiques d’Aberystwith aux places publiques de Yeddburg, de pays en pays, de comté http://saclongchampsolde1.moonfruit.fr http://saclongchampsolde1.moonfruit.fr/

  63. Pedimos nuevas paletas de alta ropa de diseño final mensual. Cynthia Rowley dice que su colección de otoño se inspiró en mecánicos, zapateros y leathermen. Soldadura, las mareas negras. Artistas mujeres que hacen el trabajo grande y fuerte. Una buena chaqueta de cuero es como un buen tortuga. Cuida de él y lo trata bien, y va a vivir mucho tiempo fuera su dueño.