DUVIDAS, DUVIDAS E MAAAIS DUVIDAS!

CERTEZA que qualquer mãe de primeira viagem que leu o título desse post, se identificou. Digo isso porque sei que das mais encanadas as mais tranquilas, toda mãe tem um mar de duvidas. Ainda estou me descobrindo como mãe e não sei direito onde eu me encaixo entre a gama enooorme de “tipos de mães”! Hahaha

Mas, enfim… Resolvi escrever esse post para dar as boas vindas oficialmente as dicas que eu darei aqui para as outras mamães. Tenho pesquisado e lido tanto sobre o assunto, que acho bacana contar para quem também procura esclarecimento e ajuda nessa difícil tarefa que é criar um serzinho!

Quero deixar claro que não acho que exista uma fórmula ou um caminho certo a ser seguido. Acredito que cada mãe deve se descobrir como mãe e traçar sua forma de cuidar. Aqui eu só vou contar a minha, sem pretensão alguma de ditar uma linha a ser seguida, é realmente um diário meu e do meu Antonio!

Screen Shot 2014-10-20 at 4.01.00 PM

Olha ai o meu GOSTOSOOOO!!!!

Para marcar o começo de muitos posts informativos, eu gostaria de dividir com vocês um texto que a genial Cris Guerra escreveu na coluna da Veja BH sobre ser mãe. O título? “MUITAS”. Porque é isso que somos, MUITAS em uma só! Mãe, mulher, amiga, conselheira, profissional… E queremos pouco? Não! Queremos MUITO, queremos TUDO. Ahhh, essa difícil e deliciosa caminhada que é nascer mulher!

“MUITAS, por Cris Guerra

Dizem: quando nasce um bebê, nasce uma mãe também. E um polvo. Um restaurante delivery. Uma máquina de chocolate prontinho. Uma mecânica de carrinhos de controle remoto. Uma médica de bonecas. Uma professora-terapeuta-cozinheira de carreira medíocre. Nasce uma fábrica de cafuné, um chafariz de soro fisiológico, um robô que desperta ao som de choro. E principalmente: nasce a fada do beijo.

Quando nasce um bebê, nasce também o medo da morte – mães não se conformam em deixar o mundo sem encaminhar devidamente um filho.

Não pense você que ao se tornar mãe uma mulher abandona todas as mulheres que já foi um dia. Bobagem. Ganha mais mulheres em si mesma. Com seus desejos aumentam sua audácia, sua garra, seus poderes. Se já era impossível, cuidado: ela vira muitas. Também não me venha imaginar mães como seres delicados e frágeis. Mães são fogo, ninguém segura. Se antes eram incapazes de matar um mosquito, adquirem uma fúria inédita. Montam guarda ao lado de suas crias, capazes de matar tudo o que zumbir perto delas: pernilongos, lagartas, leões, gente.

Mães não têm tempo para o ensaio: estreiam a peça no susto. Aprendem a pilotar o avião em pleno voo. E dão o exemplo, mesmo que nunca tenham sido exemplo. Cobrem seus filhos com o cobertor que lhes falta. E, não raro, depois de fazerem o impossível, acreditam que poderiam ter feito melhor. Nunca estarão prontas para a tarefa gigantesca que é criar um filho – alguém está?

Mente quem diz que mãe sente menos dor – pelo contrário! Ela apenas aprende a deixar sua dor para outra hora. Atira o seu choro no chão para ir acalentar o do filho. Nas horas vagas, dorme. Abastece a casa. Trabalha. Encontra os amigos. Lê – ou adormece com um livro no rosto. E, quando tem tempo pra chorar – cadê? -, passou. A mãe então aproveita que a casa está calma e vai recolher os brinquedos da sala. “Como esse menino cresceu”, ela pensa, a caminho do quarto do filho. Termina o dia exausta, sentada no chão da sala, acompanhada de um sorriso besta.

Já os filhos, ah… Filhos fazem a mãe voltar os olhos para coisas que não importavam antes. O índice de umidade do ar. Os ingredientes do suco de caixinha. O nível de sódio do macarrão sem glúten. Onde fica a Guiné-Bissau. Os rumos da agricultura orgânica. As alternativas contra o aquecimento global. Política. E até sua própria saúde. Mães são mulheres ressuscitadas. Filhos as rejuvenescem, tornando a vida delas mais perigosa – e mais urgente.

Quando nasce um bebê, nasce uma empreiteira. Capaz de cavar a estrada quando não há caminho, só para poder indicar: “É por ali, filho, naquela direção”.”

Sensacional né? Me emocionei muito ao ler todos os meus sentimentos assim, tão bem descritos. Ser mãe é realmente o maior presente que Deus poderia me dar!

Bom, mamães, nos vemos por aqui! Se quiserem mandar sugestões de posts, eles são muito bem vindos!
Beijinhosss

Gostou? você pode compartilhar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. acho que é tudo isso e mais um pouco,eu como mãe de dois meninos,não errei, 22 e 17 anos ”menino”diria:se decidiu ser mãe que seja integralmente MÃE,não delegue a ninguém,ninguém mesmo essa tarefa pois você pode perder algo que nunca mais pode voltar atras,como fazer um bolo e esquecer o fermento,pode se perder uma vida inteira em um momento.Não tenha medo de ser chato, isso é coisa de quem ama muito,e mãe é assim,não é?

  2. chorei, chorei, choooorei!
    A parte do corpo que mais dói em nós chama-se FILHO!
    te acompanho, querida!
    Seu filhote LINDOOOOOOOOOOOOOO
    Deus é fidelissimo!

  3. Lu que lindo ! queria dar sugestões de post, você poderia mostrar (em fotos) todo o enxoval do antônio, ou como organiza as roupinhas dele, ou fazer um “dia comigo” e mostrar em fotos e texto, um dia inteirinho da sua rotina com ele ! Muitas futuras mamães vão pegar dicas do enxoval e de como organizar as roupinhas do bebe e todo mundo vai amar ! Dá pra ver como voce é super caprichosa com as coisinhas dele e com ele ! e essas roupinhas são um charme <3 beijo !

  4. Que lindo Lu ! Queria dar sugestões de post . . . você poderia mostrar (em fotos) todo o enxoval do antônio pra dar dicas para as futuras mamães que estão “perdidas” quanto a isso . . .sei que já tem muitas dicas sobre isso por ai, mas uma experiencia própria de alguém com fotos das coisinhas e algumas que já foram usadas, é outra coisa né ? e também poderia fazer outro post mostrando como guarda e organiza as roupinhas dele, também pra dar dicas! E essas roupinhas são um chaaaaaarme né ? beijos ♥

    p.s : posta mais fotinhas dele no insta, fico babando <3

    1. Pode deixar! Amei as sugestões… Quanto ao enxoval, eu fiz um post sobre isso, vai no Busca aqui do Blog e digita ENXOVAL, vc vai achar! Espero que te ajude. Beijos

  5. Oi Lu!
    Sempre passo por aqui para ver as novidades selecionadas por você sobre moda, lifestyle, dicas e receitas, e nunca comento nada, apesar de sempre reconhecer o carinho e a doçura presente em cada uma de suas portagens…
    Mas, desta vez não resisti 🙂 linda mensagem e seu filho está um príncipe <3
    Bjk para vcs!

  6. Lu
    Porque você veste ele como adulto? Sinto tanta falta de vê-lo com roupa.. fofinha de bebê, sabe?
    Desculpa o comentário, mas acho estranho ver um bebê de camisa, calça jeans.. cintooo e tênis.

    1. Eu visto ele assim porque gosto, né?!! Se não eu faria diferente.
      Ele passa o dia todo de roupinha de bebê, mas quando vamos sair eu coloco essas roupas arrumadinhas.
      Cada uma viu…

      1. Luuu
        To rindo.. não sei se de mim ou de você!
        Não precisa ficar brava, só comentei porque não vejo ele com roupa “de ficar em casa”.. ehehehe.. não foi na maldade. Desculpa..
        Ele é lindo de qualquer jeito e você também! 🙂
        Beijos